Ciclo de Vida de um Software & Gerenciamento de Ciclo de Vida de Aplicativos em um Projeto Agile

Um software ou aplicativo não se resumem apenas a um ou mais programas usados pelos clientes. Um software nasce, vive e morre. É por isso que que nos referimos ao “ciclo de vida” de um software. O ciclo de vida de um aplicativo consiste em todas as etapas ao longo de sua trajetória, desde a ideia inicial até ao abandono do software pelos seus usuários, passando pelo design, implementação e manutenção. A Application Lifecycle Management, ou ALM, é o processo que permite gerenciar o ciclo de vida do software. Aprofundemos um pouco mais os detalhes para descobrir o ciclo de vida de um software em um projeto Agile.

O ciclo de vida de um software

Simplificando, o ciclo de vida de um software ou aplicativo é composto por todas as etapas, desde a sua concepção até o seu desaparecimento.

Por que fazer essa divisão? Criar, desenvolver e manter um software não parece muito complicado. Pense novamente! A criação de um aplicativo é, pelo contrário, uma operação muito complexa, ou melhor, uma sucessão de operações mais ou menos complexas. Essas operações devem ser executadas em uma ordem específica e geralmente são muito dependentes umas das outras.

Decompor o ciclo de vida do software em etapas “unitárias” permitirá que as metas e os processos de verificação e validação a elas associados sejam implementados. É uma boa forma de garantir a qualidade do trabalho produzido. Também lhe permite ter a certeza de que os prazos e os custos de implementação estejam sob controle e que não correm risco de derrapagem. Quanto mais tarde for detectado um erro ou anomalia mais caro será tornar o aplicativo compatível.

Ciclo de vida do aplicativo em um projeto Agile

Com as abordagens Agile, o ciclo de desenvolvimento do software é iterativo. A realização do software será decomposta em iterações (chamadas de sprints no caso do método agile scrum) tomando cada uma das seguintes fases:

  • Análise das necessidades: coleta e expressão das necessidades e restrições com o cliente, elaboração de um documento de resumo.
  • Design ou especificação geral: arquitetura global e descrição dos recursos do aplicativo.
  • Design ou especificação detalhada: definição do detalhe das funcionalidades através da criação de lotes, ou sub-grupos do software que irá reunir as funcionalidades relacionadas ou ligadas.
  • Design especificação técnica: as funcionalidades foram definidas, é necessário determinar de que forma serão efetivamente implementadas.
  • Implementação: esta é a fase de desenvolvimento. Os programadores traduzirão as funcionalidades delineadas das fases anteriores em código.
  • Testes unitários: os testes unitários são usados para verificar unitariamente que cada unidade de código, quando executada, se comporta de acordo com as especificações. Idealmente, o desenvolvimento é conduzido pelos testes (TDD, ou Test Driven Development) e, portanto, os testes são escritos pelos programadores durante a fase de implementação.
  • Integração: Todos os elementos desenvolvidos são reunidos para avaliar se interagem adequadamente e se funcionam bem juntos. Essas verificações são feitas através de testes de integração. Podem ser realizados em conjunto com a equipe do projeto e o cliente.
  • Qualificação: Qualificação: o cliente verifica a conformidade do aplicativo desenvolvido com as especificações estabelecidas.

Cada iteração, que geralmente dura de duas a quatro semanas, cobrirá um número limitado de funcionalidades. Cada funcionalidade selecionada passará pelas diferentes etapas, será totalmente desenvolvida e entregue ao cliente no final do sprint para ser qualificada. O principal interesse do modelo agile é scrum é que se adapta facilmente às mudanças. A cada duas ou quatro semanas, o cliente recebe funcionalidades totalmente operacionais que pode testar e validar. É possível, então, modificar uma funcionalidade se percebermos que não corresponde exatamente à necessidade real ou modificar a arquitetura do aplicativo para resolver um bloqueio técnico. As anomalias são identificadas rapidamente e, portanto, menos dispendiosas de corrigir.

O gerenciamento do ciclo de vida do aplicativo (ALM)

Face à crescente complexidade dos projetos de desenvolvimento de aplicativos, foi necessário formalizar a forma pela qual o ciclo de vida de um projeto é gerenciado. Assim nasceu o Application Lifecycle Management (gerenciamento do ciclo de vida do aplicativo).

O objetivo do ALM é gerenciar o ciclo de vida do software, desde sua ideia inicial até à sua fase de produção e manutenção, passando pela sua concepção, implementação e validação.

Todos os atores devem estar envolvidos no ciclo de vida do aplicativo. O ALM fornece ferramentas às equipes técnicas, especialistas em negócios e funcionais (que podem executar testes, sugerir melhorias …) para usuários (que identificarão as anomalias), equipes de marketing e comerciais (que poderão fazer sugestões melhorias baseadas nas necessidades do mercado e softwares concorrentes).

O ALM será, portanto, usado na análise de necessidades, gerenciamento de projetos, ciclo de desenvolvimento do software, apoio HelpDesk, controle de qualidade, etc.

A utilização do ALM permitirá uma melhor qualidade, maior eficiência das equipes e um acompanhamento em tempo real dos progressos das tarefas e do projeto em geral.

Concluindo o ciclo de vida de um software ou aplicativo

O gerenciamento do ciclo de vida do aplicativo é fundamental para o sucesso de um projeto de desenvolvimento de software. Esta é a garantia de um acompanhamento rigoroso, um processo de qualidade eficaz e uma melhor comunicação entre todas as partes interessadas.

A solução integrada de gerenciamento de projetos da Nutcache oferece um conjunto completo de ferramentas para o gerenciamento do ciclo de vida de seus softwares. Não hesite em aproveitar o período de teste gratuito de 14 dias.

2019-05-28T15:28:17+00:00

About the Author: