var _gaq = _gaq || []; _gaq.push(['_setAccount', 'UA-28644221-1']); _gaq.push(['_trackPageview']); (function() { var ga = document.createElement('script'); ga.type = 'text/javascript'; ga.async = true; ga.src = ('https:' == document.location.protocol ? 'https://' : 'https://') + 'stats.g.doubleclick.net/dc.js'; var s = document.getElementsByTagName('script')[0]; s.parentNode.insertBefore(ga, s); })();

5 estratégias para a mitigação de riscos na gestão de projetos

7 minutes

Especule para acumular, diz o velho ditado. As empresas enfrentam riscos todos os dias, mas algumas são mais bem-sucedidas do que outras. Continue a ler este artigo para descobrir as cinco principais estratégias para a mitigação de riscos no gerenciamento de projetos

Existe sempre um risco ao seguir uma estratégia comercial. As empresas com programas de inovação de longo prazo são especialmente vulneráveis a riscos. O mesmo acontece para aqueles que operam em condições de mercado incertas, como economias em desenvolvimento ou mesmo após Reino Unido pós-Brexit.

Neste artigo, examinamos as cinco principais estratégias utilizadas pelos gestores de risco. Estes podem ajudar as empresas a tomar decisões estratégicas, e a posicionar-se para um futuro mais sólido.

A primeira etapa para os gestores de risco é determinar qual é o nível de risco aceitável para a organização em questão. Para uma empresa familiar de longa data, o nível de risco aceitável geralmente será muito baixo. Enquanto os ambiciosos jovens empreendedores tendem a correr mais riscos. Fazem-no na esperança de melhores recompensas no futuro.

A identificação de riscos é uma parte difícil e constante da estratégia de empresarial. É um caminho bem traçado e existe uma variedade de ajuda disponível, incluindo a consultoria virtual de gerenciamento de projetos. No início, a maioria das pessoas considera apenas os riscos financeiros, mas a história completa é muito mais complexa. As avaliações de risco formais são uma parte comum da gestão de negócios. Têm em conta um espectro de riscos que pode variar desde a perda de reputação e danos à marca até a margens de lucro mais baixas.

Depois de identificar os riscos que sua organização enfrenta, a próxima etapa é decidir o que fazer a respeito. Este artigo aborda as cinco principais opções estratégicas para a mitigação de riscos, as quais não são mutuamente exclusivas. Muitas vezes, a melhor opção será criar uma estratégia híbrida que funcione para sua situação específica.

1. Aceite o risco

Por vezes, o melhor a fazer é aceitar o risco como inevitável. Esse é o caso se o custo do gerenciamento do risco exceder as perdas potenciais. Há sempre um trade-off no gerenciamento dos riscos.

A primeira etapa em qualquer estratégia de mitigação de riscos começa muito antes de qualquer risco se materializar. Essa etapa é identificar, investigar e compreender os riscos potenciais para a empresa.

Pode classificar os riscos de acordo com a probabilidade de sua ocorrência em relação aos efeitos prováveis. Uma das melhores formas de o fazer é empregar equipes multifuncionais selecionadas dentro da empresa e incentivá-las a se comunicarem abertamente. Dessa forma, terá uma visão abrangente da empresa e de seu ambiente.

mitigação de riscos

As empresas devem designar equipes multifuncionais para identificar os riscos

Fonte da imagem

 

Pode parecer simples, mas você já parou e se perguntou o que é colaboração em equipe? Por que é importante? Por que necessita ser multifuncional? Trata-se de comunicar e envolver sua equipe, trata-se de transparência e ajuda a ter uma visão diversificada da situação.

Todos têm uma perspetiva diferente da organização. Identificar e compreender os riscos depende dessa diversidade de pontos de vista. Para aceitar um risco como inevitável, necessita entender as potenciais implicações. Esse é o maior desafio dessa estratégia.

Não fazer nada parece uma opção fácil, mas certifique-se de não fazer nada com os olhos abertos.

 

mitigação de riscos

Correr riscos pode nos levar a desafiar a nós mesmos e a experimentar coisas novas.

Fonte da imagem 

 

2. Prevenção de riscos

Quando ameaçados, os seres humanos evoluíram para resistir e enfrentar o perigo ou para fugir. É conhecida como resposta de luta ou fuga. Até certo ponto, ocorre o mesmo nas organizações comerciais.

Por vezes, é melhor não ser exposto diretamente a uma ameaça. Se não pode controlá-la ou eliminá-la, talvez seja melhor mudar seus planos e evitar o perigo. Não há vergonha em fugir quando tal significa que pode fazer negócios outro dia.

Evitar um risco não significa necessariamente uma mudança completa de planos. Pode ser tão simples quanto implementar controles adicionais para evitar resultados negativos. Poderiam ser coisas como fazer mais testes de produtos, o que é especialmente importante para organizações que que entram em novos mercados, com regulamentações diferentes.

Identificar riscos para evitá-los significa olhar para os fatores internos e externos. Ao examinar os processos da sua empresa, descobre que depende de certas atividades, processos ou software específico? É o equivalente comercial a colocar todos os ovos na mesma cesta.

Um exemplo dessa situação aconteceu recentemente, já que muitos de nós trabalhamos em casa e usamos um software de videoconferência como o Skype for Business. As empresas que dependem de um ou dois softwares estão sujeitas a riscos. Existem muitas alternativas ao Skype, só precisa encontrá-las. Uma dependência excessiva em qualquer coisa torna-o vulnerável ao risco.

mitigação de riscos

Todos nós corremos riscos diariamente, mesmo atravessando a estrada

Fonte da imagem

 

3. Controle de riscos

A terceira estratégia é o controle de riscos. É semelhante a aceitar o risco, mas vai um passo além. A organização fará esforços positivos para controlar o risco. O objetivo desta estratégia é identificar e reduzir os impactos negativos. Se identificar um risco e descobrir como controlá-lo, perderá parte da sua força. Isso tem um grande efeito na moral da equipe e pode mantê-la positiva.

As empresas enfrentam problemas todos os dias, assumem riscos calculados. É por isso que existem e é assim que ganham dinheiro. Quanto mais controle têm, maior a probabilidade de sucesso. Quando confrontadas com um risco significativo, até mesmo o gerente mais laissez-faire pode querer microgerenciar sua equipe.

Uma boa forma de fazê-lo é com ferramentas de gerenciamento de tarefas de grupo. Cada organização é diferente e você precisa escolher a solução certa para sua organização. Certifique-se de escolher uma que permita um gerenciamento e controle de tempo adequados para uma melhoria contínua.

Existem muitas formas de controlar os riscos. As formas mais comuns são através da diversificação ou disseminação do risco para diminuir seu impacto.

Trabalhar online e armazenar documentos na nuvem é outra forma de controlar o risco. O mesmo se aplica aos recursos de compartilhamento seguro de arquivos. Há anos atrás, as organizações tinham que manter registros extensos em um local central. Esta prática expunha-as ao risco de perda devido a danos por incêndio ou inundações. Hoje em dia, podemos controlar esse risco graças à tecnologia.

4. Transfira o risco

As empresas podem controlar os riscos na medida em que sejam previsíveis. Situações como eventos climáticos extremos podem parecer incontroláveis, mas estão se tornando previsíveis. Isso significa que as empresas podem distribuir ou transferir o risco. A forma mais comum de fazê-lo é através de apólices de seguro.

A maioria dos riscos não são atos dramáticos e incontroláveis de Deus. Muitas vezes, resultam de erro humano. Uma estratégia de transferência de risco bem-sucedida identifica as partes responsáveis e as responsabiliza. Com o aumento do trabalho em casa, torna-se cada vez mais difícil. Serve para destacar os desafios do gerenciamento remoto da força de trabalho.

Outra forma comum da transferência de riscos é a utilização de cláusulas de indenização nos contratos. Tais cláusulas significam que ambas as partes concordam em compartilhar o risco. Fazem-no isso compensando a outra parte por quaisquer efeitos negativos do acordo.

5. Monitore tudo

A estratégia final é a mais importante para acertar. Empresas de sucesso monitoram tudo. Procuram tendências emergentes e isso funciona como um sistema de alerta precoce.

Existem várias formas de fazê-lo, e os mais bem-sucedidos usarão uma variedade de métodos. As novas técnicas de gerenciamento de projetos e as formas de melhorar a análise do comércio eletrônico ajudarão os gestores comerciais a monitorar os riscos em tempo real.

Um dos maiores desafios da gestão de riscos é ir além da visão de túnel do foco no cliente. Quantas vezes já ouviu a frase “Colocamos o cliente no centro de nossa empresa”?

Parece ótimo, mas deixa as empresas vulneráveis a riscos imprevistos. É muito melhor monitorar tudo. As organizações de sucesso focam-se no mercado e no cliente. Significa dar um passo atrás para ter uma visão mais ampla de todo o setor.

Essa mudança de atitude do ênfase nos clientes para uma abordagem mais ampla do mercado é vital. A transformação digital é um dos aspetos que contribuíram para essa mudança. Muitas informações estão disponíveis agora, desde análises macro até detalhes específicos de empresas e nichos.

A introdução de novas tecnologias é uma das áreas mais interessantes da gestão de riscos. Ao adotar tecnologias digitais, as empresas podem coletar dados do ambiente com mais rapidez e eficiência.

A transformação digital permite que as empresas monitorem melhor seus horizontes. Agora podemos ver o que os concorrentes estão fazendo e as influências das forças de mercado mais amplas. Tudo isso constitui um sistema de alerta precoce eficaz para os gestores de risco.

 

A chave para a gestão do risco

A gestão de riscos é um assunto complexo, mas essencial. A mesma ajudará os gerentes a identificar a direção estratégica certa para seus negócios. Os riscos provêm em todas as formas e tamanhos. O primeiro desafio é identificá-los, por isso deve ser um processo multifuncional. A segunda fase é avaliar e priorizar os riscos que a organização enfrenta. Só então essas estratégias de mitigação de risco serão eficazes.

O risco é uma parte inevitável da vida, não apenas nos negócios. Cada vez que atravessamos a rua corremos um risco e evitá-lo não é uma opção. Não podemos eliminar ou evitar todos os riscos. Mesmo que fosse possível, devemos nos perguntar se é aconselhável.

Afinal, as empresas existem para assumir riscos. Isso é o que implica ser empresário. Um elemento de risco é saudável. Caso contrário, acabaríamos todos vivendo em bolhas de plástico isoladas do mundo real e das oportunidades de negócios que aí existem.

mitigação de riscos

Evitar todos os riscos por completo significaria envolver sua organização em uma bolha protetora

Fonte da imagem

 

2021-05-10T13:43:30+00:00

Sobre o autor:

Victorio is the Associate SEO Director at RingCentral, a global leader in cloud-based communications and collaboration solutions. He has over 13 years of extensive involvement on web and digital operations with diverse experience as web engineer, product manager, and digital marketing strategist.